[ editar artigo]

VINTE E TRÊS DE NOVEMBRO

VINTE E TRÊS DE NOVEMBRO

VINTE E TRÊS DE NOVEMBRO

Não. Deus não é um roteirista
a oferecer altos e baixos n'uma narrativa
na qual sou o protagonista.

Tampouco amizade 
se confunde com popularidade.
Fazer de amigos e parentes plateia 
não torna a existência mais significativa.

A vida não é um filme; não é um romance.

Ninguém escreveu o destino de ninguém,
apenas o aleatório atravessa os planos. Explicar
o que não tem explicação com Deus ou o sobrenatural
não explica nada, sim antropomorfimiza o caos.

Será mesmo preciso dar um rosto e um corpo para o nada?
Ainda que imateriais?... Não sei de nada, mas
desconfio de tudo.

Aceito a gravidade dos corpos e a loucura dos desejos,
porém, não faço d'isso qualquer o sentido da vida:
São realidades.

A única metafísica que me permito é não ter certezas.

Betim - 2020

  

Literatura

EternizArte
Ricardo CUNHA
Ricardo CUNHA Seguir

Escrevo. Gosto de escrever. Se sou escritor ou poeta, eu deixo para o leitor ponderar. https://medium.com/@arqt.ricardoc

Ler conteúdo completo
Indicados para você