[ editar artigo]

Sou a poesia

Não, não te deixarei sozinho.

Não, não te impedirei de sonhar.

Não, não te pedirei que me odeis.

Não, não me odeis.

Carregues-me aonde fores.

Sou a poesia, as palavras, em teus pensamentos.

Me oculta no teu peito dolorido.

Lembra-me nos teus sentimentos sombrios.

Sou a poesia.

Encontras-me bem no intimo do teu coração.

Contemplas-me bem proximo dos teus labios.

Sou a poesias, esquecida, lembrada e amada.

Não, não me odeis.

Sou a poesia.

Literatura

EternizArte
Guerra Antonio Fernandes
Guerra Antonio Fernandes Seguir

Guerra Antonio Fernandes, é natural de Luanda-Angola, é casado e pai de dois filhos, É técnico de informática e atualmente é estudante universitário no curso de administração.. É escritor de romance, poesia, cronica e artigo

Ler conteúdo completo
Indicados para você