[ editar artigo]

Plácido sonho

Plácido sonho

 

O sonho é rio plácido,

adormecido em seu leito

até a foz do esquecimento

de memórias e lamentos.

 

Nas águas turbulentas

do mar das lembranças,

deságua, caudaloso,

em busca de esperanças.

 

Faz do pensamento corrente,

guia para águas da sensatez,

onde pesadelos são afluentes,

indesejáveis, porém, inerentes.

 

Nas ilhas das boas memórias

o sonho, agora, onda cordata

quebra em sonolenta praia,

acordando para a vida abstrata.

Literatura

TAGS

POEMA

SONHO

EternizArte
Helio Valim
Helio Valim Seguir

Alguém interessado em usar a poesia como uma crônica poética do cotidiano, com realismo e imaginação. Com mais de 30 anos no magistério superior tendo lecionado em Instituições de Ensino no Rio de Janeiro. Mestre em Engenharia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você