[ editar artigo]

Noturno

Noturno

O sol se despediu na linha do horizonte

A escuridão se sobrepôs ao azul dissipante

Estrelas astronomicamente longínquas me emprestam seus brilhos

Brilhos de luzes do passado

Passado não passageiro

num presente tão ligeiro

E contemplo nesse noturno

quando a insônia bate à minha porta

o dormir do sol no ocidente

desejando viajar num de seus raios dormentes

para ver no limiar da noite

o nascimento de um novo dia

 

Gerson Maciel. Do livro Poemas Perdidos. 2020.

 

Literatura

EternizArte
Gersão Maciel
Gersão Maciel Seguir

Pedagogo. Professor de Física. Mestre em ensino de Física. Poeta. Escritor

Ler conteúdo completo
Indicados para você