[ editar artigo]

Menina Marrom

Onde você está?

Coqueiro... O mar te tomou. Coqueiro... Dunas do Abaeté

Anda menina, menina marrom!Seu pai te chamou e te apelidou

Pegadas na areia, areia que afunda, ao meu pisar, o mar...

No vai e vem de ondas espumantes, trazendo conchinhas

E algas marinhas, que eu vou catar,catar...

Correndo na praia,cabelos ao vento, menina morena, menina marrom

Parece pequena, na imensidão do mar, só a observar...

Puxada de rede,vem o pescador,trazendo peixinhospequenininhos

E outros! Bem grandes! Que beleza!

Parece tão simples, mas é uma riqueza, das praias de Itapuã

Das pocinhas, a rua K e de lá até o farol

Passando e admirando canções, do grande poeta e cantor

Vinicius de Moraes, que em Itapuã morou

Lembro também de Cayme e Caetano Veloso

Quanta musicalidade, nas serestas da cidade

Isso não poderia faltar, nas barracas da rua K,em noites de luar

Venho nessa melodia, agora falar das iguarias,aquelas que comi

E desde a infância eu aprendi, são únicas, são daqui

O peixe pescado na hora. Moqueca feita de dendê!

O acarajé ,é o que há! O caranguejo, o caruru e o famoso vatapá!

Famosas iguarias, feitas aqui na Bahia.

Bahia de todos os Santos e também de seus encantos

Trazendo o entardecer, logo vindo o anoitecer...

E foi assim que eu pude, lembrando a pedra que ronca

Reviver esses momentos, da infância e adolescência,

Que marcou a minha história

Com tamanha complacência e muita contemplação

Pôr do sol!Brisa do mar! Luar, luar, luar!

Que saudades deste lugar, que me ensinou a ousar!

 

Literatura

Ler conteúdo completo
Indicados para você