[ editar artigo]

Esconderijo

Esconderijo

 

A pequena porta desbotada,

na fachada do sobrado decadente,

em uma cidade extenuada

esconde tesouro eminente.

 

Suas prateleiras empoeiradas

guardam inestimável memória,

em livros e brochuras emboloradas,

ornados com intensa glória.

 

Como pérolas perseguidas,

não há um bom livro que me escape

ou um grande autor que eu resista.

 

Sendo frequentador costumaz,

no sebo de livros me satisfaço.

No sebo de usados me sinto em paz.

Literatura

TAGS

poema

EternizArte
Helio Valim
Helio Valim Seguir

Alguém interessado em usar a poesia como uma crônica poética do cotidiano, com realismo e imaginação. Com mais de 30 anos no magistério superior tendo lecionado em Instituições de Ensino no Rio de Janeiro. Mestre em Engenharia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você