[ editar artigo]

Dor inerente

Dor inerente

 

O ser humano

é um infiel detrator,

que não resiste

diante da própria dor.

 

Em sua redenção,

adicto enganador,

procura omitir a dor

sentida no coração.

 

Fingidor, insistente,

mente, contundente,

sobre a dor persistente,

que, sem paz, se ressente.

 

Lentamente, vem à mente

a verdade premente,

que instiga seu consciente

a crer na dor inerente.

 

Ao assumir a dor que sente

expõe a sua humanidade

e tão óbvia fragilidade,

que, laconicamente, assente.

 

(Sorvendo "gotas" de Fernando Pessoa, do poema Autopsicografia, atribuídas a qualquer humano "fingidor"!)

Literatura

EternizArte
Helio Valim
Helio Valim Seguir

Alguém interessado em usar a poesia como uma crônica poética do cotidiano, com realismo e imaginação. Com mais de 30 anos no magistério superior tendo lecionado em Instituições de Ensino no Rio de Janeiro. Mestre em Engenharia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você