[ editar artigo]

Dois altos

Dois altos

Tem dia
Que eu quero muito
Que a vontade é tanta
De passar um dia
Na casa de mãe Joana

Tomar banho de pipoca
Fazer a festa da taboca
Com reco reco e tudo
Jaz a dor, beber o defunto

Na rede deitada
Atemóia de entrada
Carinho macio na boca
Luxo é coisa pouca

Na hora do rango
Ensopado de frango
Chocolate, mendoim, caramelo
Creme de leite marmelo

Massagem no pé
Melhor q canapé
Creme de macadâmia
Sobrando metonímea

Torresmo a petiscar
Acalmar o dente
Buena Vista toca sem parar
Pra gente dançar salsa e merengue

Licor de marula 
Um bando de amigos
Muita crise de risos
Enfim, um dia de caçula

Só uma besteirinha
Nem é pedir muito, mainha

Literatura

EternizArte
Fabiana Amorim
Fabiana Amorim Seguir

Às vezes sou estrela Às vezes peregrina Sou também vento E, por vezes, Brisa leve De vez em quando Tempestade Mas, Em raros e bons Tempos me torno flor

Ler conteúdo completo
Indicados para você