[ editar artigo]

3 vezes, Pedro?

3 vezes, Pedro?

Pedro
Tu negaste meu Cristo
Apenas três vezes
Cenário arisco
Pra salvar sua vida
Total pavor
E eu? 
O que falo em meu favor?
Quantas vezes 
O nego 
A cada santo dia?
E fecho o vidro
Pra criança vadia
Só não ofereço dinheiro 
Pra não carregar a culpa
Pelo vício alheio
Preciso me defender 
dos tiros
Mas almejo ser chamado
Teu filho
Defendo 
Com unhas e dentes
Maioridade ao fedelho
Mas quero Te ver no espelho
Meu vizinho comendo blocos
Meus filhos, sorvete de flocos
Mas não te nego, Jesus
Me falta apenas 
Um pouco mais de luz
Pra fazer algo grandioso
Que revele quanto 
Sou piedoso
Pois pouca coisa me basta
E farta é a falta de graça
Mas não me apetece
Falar em desgraça
Pra que não pese a mão
Nem perca meu galardão
Pois foi Pedro
Quem te negou
Mais de uma vez
Eu, não
Nunca
Jamais
Cometeria
Tamanha estupidez

Literatura

EternizArte
Fabiana Amorim
Fabiana Amorim Seguir

Às vezes sou estrela Às vezes peregrina Sou também vento E, por vezes, Brisa leve De vez em quando Tempestade Mas, Em raros e bons Tempos me torno flor

Ler conteúdo completo
Indicados para você