[ editar artigo]

TEU, TEU TUDO É TEU

TEU, TEU TUDO É TEU

 

Minha conta poupança vazia

Minha hipoteca atrasada

Meus boletos vencidos

Meus cartões de crédito cancelados.

Teu, teu tudo é teu.

 

A máquina de roupa com defeito

A geladeira pifada

O fogão com as bocas sujas

O colchão cheio de ácaros.

Teu, teu tudo é teu.

 

As multas do IPVA do carro

A bola de neve do IPTU da casa

As contas de água e luz

Os empréstimos do banco.

Teu, teu tudo é teu.

 

Não me envergonharia

Sou homem totalmente endividado

Mesmo devendo até o pescoço

Não nego minha raiz-problema.

 

Devo agiota

Não quitei o vizinho da baiuca

Não paguei a pensão

A internet cortada

A TV está esculhambada

Teu, teu tudo é teu.

 

O celular parou de vez

O ar-condicionado não presta

A tela do computador está trincada

Não tem café pronto

Não há queijo e presunto no pão.

Teu, teu tudo é teu.

 

Livros, CDs de samba,

Sandália Havaianas, Doberman,

Goteiras no telhado, privada entupida,

Uma garrafa de vodca.

Teu, teu tudo é teu.

 

Não saldarei as dívidas

Nem caraminguás tenho

Para matar a minha fome.

Roupas rasgadas ainda as uso,

Porque as novas já não há!

 

Só não é teu:

Minha depressão

Meus pensamentos de suicídio

Minhas enfermidades

Minhas lágrimas

Minha senilidade

Minha solidão

___________

15/10/2021 às 08h05

TAGS

Poesia

EternizArte
André R. Fernandes
André R. Fernandes Seguir

Graduado em Letras pela Universidade Nilton Lins. Professor de Literatura, Gramática, Redação e Revisor de Textos. Pós-graduado em Docência da Língua Portuguesa pela Escola Superior Batista do Amazonas - ESBAM. Preparando-se para Mestrado...

Ler conteúdo completo
Indicados para você