[ editar artigo]

SONETO DE SEPARAÇÃO

SONETO DE SEPARAÇÃO

De repente, fez-se de apagada a última chama,

E o que parecia silencioso e calmo e profundo

Tornou-se parte de um martírio em drama,

Tornou-se frio como se fosse submundo.

 

Logo, fez-se distante o que se foi presente,

E o toque que se fez conforto e companhia

Tornou-se pálido, sem vida e impaciente;

Como se não existisse, sumiu ao fim do dia.

 

E não mais que de repente a noite triste

A trouxe sobre os lençóis como perfume

E de seu esboço no céu restou a tempestade.

 

Quase que de repente sua voz ainda resiste

E sussurra como um apagado vagalume

E lentamente desfaz minha outra metade.

 

Itacoatiara-AM, 21 de junho de 2020.

 

#Poesia  #Concurso  #Eternizarte

Ler conteúdo completo
Indicados para você