[ editar artigo]

Soneto à Noite

Soneto à Noite

Noite densa, luze o meu pensamento

E vista-me com sua noite escura

Retira de mim toda a amargura

E se houver algum, o ressentimento

 

Envolve-me de abismo e firmamento

E toca o meu semblante com ternura

Em meu peito há um mar que me perdura

Tão propício ao silêncio que eu invento

 

Noite densa, eu te trago aqui comigo

O meu olhar carrega um silêncio antigo

Que procura saber aonde estou

 

Eu te trago o meu tempo e uma estrela

Trago-te a lua e olhos para vê-la

Sem ouropéis, eu trago a ti quem sou.

#Poesia #Concurso #Eternizarte

Ler conteúdo completo
Indicados para você