[ editar artigo]

SALIM

SALIM

Salim

A primeira vez que te vi, de imediato compreendi o tipo de pai que eras:

Amigo, aconselhador e desportista abrasador;

Até fez uma quadra de basquete para juntar os curumins na rua a brincar;

Era uma festa, de tarde, aquele jogo que entrava pela noite, até terminar o fôlego.

Pai paciência, vivia com
consciência e trabalhava todo dia;

Comprar madeira e depois transformar, em sua movelaria;

E até colaborou, com grande fervor, com os bancos da Igreja Matriz;

Mas em casa, a paixão eram seus filhos, a razão da boa  criação;

Nas festas, a trabalhar, não era difícil imaginar: iam todos na procissão de Santo Antônio,  São João e São Pedro.

Caminhos percorridos, nunca arredio, lá estava sua mais bela flor do lírio;

Esposa ao lado, namorada apaixonada, era assim que viviam;

Amor a Deus e devoção à Nossa Senhora da Conceição: Salim tinha a missão de sempre ajudar e organizar a quermesse;

Defendia os indefesos:
A Câmara conquistou:
Virou vereador; sereno mediador, todo dia
ouvido de doutor;

De repente nos assusta essa pandemia; travou  sua luta mas, dentre muitos, pela primeira e única vez, fracassou.

Velei-me família, nosso chefe infectado; chegada a hora, desventurado, nosso amado eternizou;

Singela despedida coube à família, com a dor em particular na hora do adeus;

Na certeza que a luz lhe achou,
Nossa Senhora com amor
Lhe conduz à calmaria no barco do Pescador, com Santa Luzia;

Irás fazer falta às comunidades Salim. Do  Bom Pastor ao Senador, imagina no interior;

Este é o seu valor; maior exemplo em vida
Ao lado da sua querida; uma história bonita a todos deixou.

*Autor: Prof. Max Barros*
 

#Poesia #Concurso #Eternizarte

Ler conteúdo completo
Indicados para você