[ editar artigo]

Rosa désirée

Rosa désirée

 

Quantas expectativas, miserere!
Minha alma tão cativa não liberté
Irracional é a vida que dizem fraternité
Entre dominus incoerentes
Só Deus mesmo para interceder

Todo mal tem veneno
Todo bem é fino sereno
Mais forte que a morte, é eu não esquecer
O que ainda espero da vida que seja  égalité
E o amor desta rosa désirée

Não as mortes, nem espinhos
A pomba da paz , e a rosa em meu caminho
Tecnocratas empolgam tanto desvalor
Que anunciam os sinos,
Eu quero a farda dos renegados
O pai o filho e qualquer santo que venha nos liberté

TAGS

poema

Ler conteúdo completo
Indicados para você