[ editar artigo]

O CHEIRO DA REJEIÇÃO 22/06/2021 às 13h19min

O CHEIRO DA REJEIÇÃO 22/06/2021 às 13h19min

 

Socorro! Vejo-me no lamaçal.

Os que me amavam me rejeitam

Excluíram-me em seus corações

Enxotam-me como cães diante deles.

 

Quando me veem, atiram pedras.

Olham-me com desdém amargo

Escarram em mim palavras inflamadas

Apontam seus dedos sujos na minha cara.

 

Sinto o cheiro da rejeição vindo deles

Chamam-me de filho da perdição

Amigos meus me desconhecem

Fecham as portas para negar ajuda.

 

Querem desatar sua matança em mim

Anseiam me hostilizar com ódio

Não há neles misericórdia

Caçam-me como demônios querendo almas.

 

Eles se cubram de ignomínia

Envolvem-se em suas confusões

— Dizem servir a D’us —,

Mas servem a Satanás.

 

O número dos meus inimigos é incalculável

Eles vêm em meu encalço

Como nuvens de escuridão.

Desprezam-me porque os contrariei.

Disse-lhes que dessa forma

Não agradam a D’us.

 

Ocultam os pecados.

Metem com naturalidade entre si.

São prostitutos cultuais.

Ofertam seus lábios fraudulentos ao Diabo.

 

Dizem que vão levar-me à fogueira como bruxo

Desejam ver meu corpo sendo

Dilacerado pelo fogo.

Proclamam dizer que sou morada de belzebus.

TAGS

Poesia

EternizArte
André R. Fernandes
André R. Fernandes Seguir

Graduado em Letras pela Universidade Nilton Lins. Professor de Literatura, Gramática, Redação e Revisor de Textos. Pós-graduado em Docência da Língua Portuguesa pela Escola Superior Batista do Amazonas - ESBAM. Preparando-se para Mestrado...

Ler conteúdo completo
Indicados para você