[ editar artigo]

O Amor que Sinto

O Amor que Sinto

Das dores e amores que sinto

Tudo o que vivo é apenas meu,

Das coisas que falo e que digo

São amores apenas meus.

 

Das cores que enxergo

Os brilhos, quem vê sou apenas eu

Dos cinzas das minhas roupas

Quem cuida sou eu

 

Quanto sabão na máquina 

Para não desbotar o amor?

Sua quantidade de água

Para regar a minha dor?

 

Quanto de arroz na panela

Faz um jantar sem cor?

Dos ventos e a que horas

Eles levam minha dor embora?

 

Não pense que é capaz

De entender as arestas

Se tudo que te permito

É se esgueirar pelas frestas

 

Para quê guardar

o amor, A dor e os restos?

Se apodrecem na geladeira

A espera de um nobre gesto?

 

Nada nem ninguém

percebe O mundo

com os meus olhos

 

Se na pele, 

apenas eu,

sinto as texturas.

EternizArte
Gabriela Bosan
Gabriela Bosan Seguir

FashionArtDesigner apaixonada por arte, livros, cores, formas e significação. O corpo, a roupa e as sensações. O amor a dor e a solidão!

Ler conteúdo completo
Indicados para você