[ editar artigo]

Noite

Noite

Noite 
Noite calada dos sonhos que eu não lembro. 
Fria no seu interior, mas acende o medo.
Bonita pra quem não consegue ver. Certa para se esconder.
Seu véu escuro não é de luto, seu silêncio não é prudente.
A lâmpada,  a vela, a luz, nada a deixa menos envolvente.
Tantos encontros e desencontros,  entendimentos e desentendimentos. 
Culpa e rancor, sofrimento e dor... mas, e o amor?
Olha bem. A noite mão é inimiga do amor. Só é preciso certa clarividência. 
A escuridão pode camuflar outra coisa fazendo parecer amor.
O momento, a situação, a imaginação. Tudo pode estar escuro e então clarear.
O sonho não é real.
 Acorda e vive afinal.
Vai enxergar o dia pra entender a noite. Enfrenta o que vem e aceita a luz da consciência. 
 

EternizArte
Liliana Rêgo
Liliana Rêgo Seguir

Sou alguém com pensamentos soltos. Viajo muitas vezes sem sair do lugar, somente através da minha imaginação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você