[ editar artigo]

MATA(I)

MATA(I)

 

A árvore esturricada no chão

Seu corpo jaz enegrecido

Da cinza ao carvão!

 

Arrancaram-lhe do chão

Seus últimos suspiros!

Agonizante reclama

Só quem é sensível

Pode lhe ouvir

 

A vida se desfaz

Agoniza a natureza

Mais forte é a cobiça

Derrubai essa mata

 

Chora povo da floresta

Uni-vos em sinfonia animalesca

Quem sabe alguém os ouve

E põe fim em tanta baderna

 

Foge enquanto é tempo

Já não tem mais esperança

Estás sozinho nessa empreitada

Ninguém aqui faz nada!

 

Fogo e fumaça!

Uma nuvem densa

A mata nos dá!

Seu último adeus

#Poesia #Concurso #Eternizarte

Ler conteúdo completo
Indicados para você