[ editar artigo]

Indescritíveis Silêncios

Ao escrever me descrevo
Em indescritíveis silêncios,
Verbos, versos, sonhos,
Passados e futuros...
O presente mente
E se desmente para a mente
Esfinges que fingem
Quimeras vivas
Ainda que
mortas.
Reticências que são,
Etecéteras que vão...
Mudas, surdas, cegas
Existências vãs
Que não são,
Apenas vagam
Nas vagas
Da ilusão.

Sabre da Serpente

EternizArte
Henrique Palhares
Henrique Palhares Seguir

Amante das letras que me dá sonhos!

Ler conteúdo completo
Indicados para você