[ editar artigo]

Escrevendo sonhos

Escrevendo sonhos

Para muitos escritores e poetas escrever é mais que um prêmio ou uma menção honrosa, ou qualquer outra coisa. Escrever é um pouquinho do sonho de dar visibilidade a suas emoções, pensamentos, poesias, etc. A maioria escreve sonhos e isso vai muito além, de prêmios ou dinheiro, mas é como o próprio nome do site diz eternizarte ou seja eternizar a arte. As vezes quando participamos de concursos literários, sabemos das regras e da quantidade de pessoas que serão escolhidas, porém sempre ficamos pensando, o que aconteceu com os chamados desclassificados. Será que desistiram? Será que se inscreveram em outros concursos? Ou será o fim de tudo? Hoje em dia a competição é muito grande em tudo que vamos fazer, e se manter animado e inspirado é bem difícil. Por isso a necessidade de escrever sonhos, porque o sonho permanece assim como o nascer do dia, por um tempo permanece e ao chegar a noite, a esperança de um novo amanhecer. Recentemente levei bomba em mais um concurso literário, ao qual não vou citar nome por questões éticas, pensei talvez seja a hora de parar, talvez acabou pra mim, fiquei muito chateado, entretanto porque esse concurso me chateou mais que os outros que perdi??? As vezes o glamour e toda aquela forma chamativa tire um pouco a percepção, que a gente precisa escrever sonhos, e você passa a imaginar, toda aquela ilusão de realidade, fama, nome publicado, muitas visualização, elogios, blá blá blá. E aí quando se dá conta você percebe que perdeu sua essência, ou seja não foi natural como sempre costuma ser. Por incrível que pareça eu não estou interessado em ganhar o prêmio do site eternizarte, porque aproveito esse espaço, para conversar, desabafar, fazer novas amizades, e agir o mais naturalmente possível, sem me preocupar com posições literárias, prêmios, etc. Acontece que esse ano essa perda de concurso que eu tanto queria, me abriu os olhos, para diversas coisas, aquilo que estiver determinado para acontecer acontece, não precisamos de ansiedade, ou fanatismos. Me lembrei da história de um senhor que dedicou a vida a achar uma pedra muito valiosa. Então sofreu muito cavando no sol na chuva nas chamadas minas, o tempo passou envelheceu e não achou a tão sonhada pedra preciosa. Então um dia bem velhinho sentado na praça dando comida para os pombos, olha para o chão e adivinha a tão sonhada pedra preciosa estava lá na sua frente, alguém achou e perdeu. Assim eu me vejo foram tantas tentativas na literatura que talvez no dia da minha desistência aí algo de certo, e eu só espero estar vivo nesse dia que de certo, porque quando da certo depois de morto digamos que pra nois não é lá muita vantagem kkkkkkkkkkkkkkkk.

EternizArte
Everaldo Ferreira.
Everaldo Ferreira. Seguir

Eu sou aquele que caminha na arte da escrita. ef785997@gmail.com

Ler conteúdo completo
Indicados para você